A História do MSX


By Marcelo Eiras

 
1 - O que é o MSX?

MSX faz parte da família de  computadores  baseados no  velho e eficiente
processador de  8  bits da  Zilog, o Z-80. Esses computadores começaram a 
aparecer em 1983 tentando estabelecer um padrão em computadores pessoais,
assim como é o sistema VHS é em vídeo.
 Eles foram muito populares na  Ásia [Japão, Coréia], Europa [Inglaterra,
Holanda,  França, Espanha] na América do Sul [Brasil, Chile, Argentina] e
na Antiga  União  Soviética  mas, são praticamente desconhecidos nos EUA.
 Entretanto em 1988 o MSX-1  começava  a lentamente  desaparecer, o mundo
começava a ver o MSX-2 (uma grande evolução) , um ano depois o MSX-2 Plus
e  em  1990  o MSX Turbo R (de 16 bits) o  primeiro MSX  de  16 bits, mas
pouco depois começou  a finalmente  desaparecer  sendo  substituído pelos
PC's que hoje dominam totalmente o mercado...
 MSX  quer  dizer  MicroSoft  eXtended, foi  criado  em  parceria entre a
Microsoft (Bill Gates), e a ASCII japonesa (Kay Nishi). Até final  de  87
MSX era  marca  registrada da  Microsoft  Corp.  depois  Bill  desfez sua
sociedade com Nishi e voltou seus esforços totalmente  para o  padrão PC.
 

     
  O MSX foi sem dúvida o melhor micro de 8 bits da história, sendo melhor
que muitos de 16  bits.  Ele  é  um  computador muito  bom, especialmente
para fins educacionais, como foi  claramente  indicado no caso  da antiga
URSS. O Ministro Russo da Educação, na época, comprou centenas   de  MSXs 
(e   posteriormente   MSX2s).  Eram   agrupados   em   chamados  "Sistema 
computadorizado de salas de aula"  de 10 a 16 máquinas  interligadas numa
pequena  rede. Uma grande geração de programadores nasceram usando  esses
computadores.

 O MSX, também era bastante eficiente em jogos (principalmente o MSX2)  e
tem um grande numero de jogos escritos ou adaptados  para ele. A  maioria
desses jogos eram bem superiores ao jogos do PC na época.


2 - O MSX no Brasil

 Dois assuntos  são  fundamentais  para se  entender o  MSX no  Brasil: a
imprensa escrita (principalmente as revistas) e o software. Até o advento 
do MSX, nenhum outro micro  tinha  produzido  tanto  software  brasileiro
genuíno.

 Antes, além de uns  poucos abnegados, tudo o que existia eram  traduções
e cópias. Tá certo que houve muita  pirataria  também no MSX, mas com ele
apareceram  os primeiros  produtores de  programas brasileiros. Algo  que
somente  hoje começa timidamente a reaparecer com o boom dos CDs e com os 
softwares domésticos, mas nem se compara aos tempos do MSX.

 O MSX surgiu no Brasil em 1985. Eram duas  as empresas que  fabricavam o 
MSX: a Sharp e a DYNACOM. O  MSX da DYNACOM era uma  máquina extremamente
inferior, com apenas 8kb de ram e  componentes de péssima  qualidade. Foi
rapidamente retirado do mercado e muitos desconhecem até que chegou a ser
fabricado, mesmo porque as vendas foram insignificantes... 

 Ele chegou e em  pouco tempo  fulminou   seus  concorrente  diretos de 8
bits ( os clones  de  Apple-II  e  ZX-SPectrum).  Em  1988  era padrão do
mercado, sendo mais popular (pelo menos a nível  doméstico) que os PCs.

 Pouco  depois, surgiu  o  Expert 1.0  da  Gradiente.  Ele  trazia vários
inconvenientes: A  sua tabela de caracteres  não  seguia o  padrão, tinha
algumas incompatibilidades  a nível de endereços com os outros MSX e  por
ai vai. Algo semelhante  ocorria com o Hotbit  branco da sharp, porém sem
os problemas de tabela ascii.

Em 1987 surge o Hotbit preto e o Expert 1.1, que tinham a mesma tabela de
caracteres e resolvidos esses problemas. No mesmo ano surgem os primeiros
kits  de  transformação 2.0 no Brasil, e  lá fora, é  lançado o MSX 2+. 

Os kits 2.0 dessa época eram exclusivos para o Expert,o inconveniente era
que se perdia o slot traseiro dele, o que não era  grande diferença  para
99% dos micreiros. Isso  na   época fez com que  muitos  vendessem   seus
Hotbits e comprassem  Experts, porque  o  gabinete  da  SHARP  era  muito
pequeno, não havia espaço físico para o kit de MSX2. A  primeira  empresa
a fabricar kits foi a MPO, a maior foi a DDX e a melhor foi a ACVS. Outro
problema do kit (DDX) era que as vezes a interface de data corder  parava
de funcionar. Mas, ninguém (nem os técnicos) sabiam explicar o porque.

 Nunca  foi  fabricado  um  MSX2  no  Brasil ,  o  que era feito  era uma 
"transformação"   com  a  instalação  de um   Kit  chamado  Kit  MSX-2, o
mais popular era fabricado  pela  DDX.  Essa  empresa  era  o   principal
fabricante    de   acessórios  para  MSX.  Apenas   o  Expert  podia  ser
transformado para MSX2 já que o Hotbit  por  problemas (entre  outros) de 
falta de espaço em seu gabinete .

 Existia outra empresa a ACVS que  tb fazia kits  de MSX2  e 2+, que  por 
sinal eram melhores que os kits da DDX, embora  não fossem tão populares.
A  ACVS chegou a lançar um cartucho  que transformava  o MSX  em  MSX2/2+ 
acabando com o problema da transformação  do Hot Bit, se bem que isso não
faria diferença, pois a Sharp já tinha  parado de fabricar o seu MSX Hot-
Bit.

 Em  88/89, quando todos esperavam um MSX 2 ou  2+ nacional,  a Gradiente
lançou o MSXPLUS  e   MSX  DD  PLUS... Uma  tremenda  besteira,  primeiro
porque o MSX1 já  tava  super ultrapassado  e  segundo porque esses novos 
Experts davam uma  série de problemas.Foi a gota d'agua para a existência
do MSX no Brasil :-( 


3 - Problemas com o Kit

 O  Kit funcionava  bem mas, tinha um  problema que  embora  simples, deu
muita dor de cabeça aos usuários. O que ocorria é  que era  colocado mais
uma placa no MSX. Essa placa causava um super  aquecimento na  fonte (que
foi fabricada apenas para  "agüentar" a placa  de MSX1) que  por sua  vez
fazia os  chips da placa  de  MSX1  (que  era  soquetados e não soldados)
se desprenderem e  "congelarem" o   micro. O pior de  tudo  que invés  de 
colocar   uma   fonte  mais  potente, eles apenas  abriam  a  máquina   e
empurravam os chips com o dedo (isso mesmo)   fixando-o na placa, e ainda 
tinha a cara de pau de dizer   que  tinha  trocado  o  kit...  Coisas  do
Brasil :-(...  Depois  foi lançado um  Kit de 2 Plus DDX que tinha alguns
problemas de compatibilidade...


4 - Invenções Nacionais

  No Brasil também se inventou algumas coisas  para o MSX, a mais popular
delas  foi a Megaram, que  era  usada  para  rodar os  jogos copiados  de
cartuchos (megaroms) originais.A Megaram foi  inventada pela ACVS (Ademir
Carchano) mas, foi  a DDX  que  a  popularizou. Existiam  varios  tipo de
megaram: a megaram de  128 e  256, a  Megaram Disk  de 256, 512 e 768.  A
principal diferença entre a  Megaram e a Megaram  Disk  é  que  a segunda 
vinha  com  sistema  operacional  e podia ser usada  como drive  virtual.
Apenas o jogo Metal Gear 2 fazia  uso da Megaram de 512.
 Outra coisa que inventaram era  o Multi Drive, que era um drive de  51/4
com um botão que fazia ele formatar  discos de 360K em 720Kb. Isso porque
tinha muitos jogos de MSX2  em  disquetes  de 720K  e  por  alguma  razão 
drives de 31/2 nunca fizeram sucesso no Brasil.

 Tambem existia o expansor  de slots, já  que  os  2 slots do MSX  já não 
eram em número suficiente. O  melhor  espansor  de  slot  fabricado foi o
DDX Expander,que tinha como  principal característica o  seu chaveamento,
ou seja não precisa ficar  tirando e  colocando cartucho, cada slot tinha
um botão de liga/desliga para cada cartucho.

 

5 - O MSX Agora

 O MSX virtualmente  desapareceu depois de 92... Parou de  ser  fabricado
no Brasil e no Japão  pela Panasonic. Parecia que o MSX, estava fadado  a
extinção. Mas,  com  a  popularização   da  Internet, os  poucos  usuários
restantes começaram  a trocar ideias (vide texto da "A História do MSX na
Internet" abaixo). Com  isso  o  MSX  começou  a dar  sinais  de  vida. O
surgimento   de  emuladores  para  PC   e  posteriormente  para   outras
plataformas também ajudou.
 Hoje a  comunidade de  MSX  é  formada  por poucos  mas  fiéis usuários,
que  não   apenas  lamenta  a  sorte  deste  micro  mas,  trabalha   para 
transformar  seus sonhos da volta do MSX em realidade. Já  existem vários
projetos no  Brasil e no mundo, como  o SMSX, o  MSXOS (vide abaixo). Com 
micros MSX  envenenados e até MSX de  32  bits usando novos processadores 
da   Zilog. Ademir  Carchano, o papa do hardware do MSX está de volta com 
um super MSX o ACE001, ou seu novo kit turbinado de MSX2+.   
  Loucura, sonho ? Isso só o tempo dirá... 
 


6 - Emuladores de MSX no PC.

 Mas,  para  quem  quiser  matar  saudades,  no  PC  existem dois ótimos 
emuladores de MSX (1, 2 e 2+) são o MSX  EMULATOR e o fMSX . Nessa HP tem
os links para as Home Pages  dos  respectivos  autores desses emuladores.
 Eles  são  shareware por isso  você  pode visitar  a HP deles obter mais 
informações e baixar  os  emuladores em suas mais recentes versões ! Mas, 
os  emuladores  geralmente  não  vem  com   as  ROMS  necessárias   para
utilização de ambos os emuladores...  Para  facilitar  a vida de vocês eu 
as coloquei disponível nesta HP. Basta  unzipa-las  e  copia-las  para  o
diretório do  respectivo  emulador. Existe  também  um   programa chamado
MSX Recompiling System que recompila jogos de  MSX (em formato .ROM) para
a plataforma PC.
 Essa   recompilação,  infelizmente não é  feita  de  forma  direta  pelo
programa,  é  necessário saber  alguma  coisa  de Assembly  de  ambas  as
plataformas  para  fazer  a  recompilação. Mas, já  existem  algum  jogos
recompilados  (vide  abaixo).  Segundo  o  autor   uma   nova  versão  do
Recompiler está por vir, e recompilará tambem jogos de MSX2!

	                                             


Voltar